Em Defesa do Fundo de Pensão dos Correios (POSTALIS)

Devido à má gestão e a fraudes, o Postalis vem acumulando sucessivos déficits. Os próprios beneficiários estão sendo penalizados, pagando para cobrir o rombo estimado em cerca de 7 bilhões. Os trabalhadores ativos, que já arcam regularmente com uma contribuição de 8% do valor do salário, pagam outra taxa, que varia de 3% a 6% conforme a faixa salarial. Os aposentados e pensionistas estão pagando uma taxa extra de 17,92% para cobrir o déficit do período entre 2011 a 2014, além da contribuição regular de 9%. Ou seja, vai para o rombo nada menos que 26,92% do benefício.

É fundamental a defesa dos interesses dos empregados dos Correios, incluindo a punição dos culpados, as devidas indenizações ao fundo de pensão, o consequente fim das "contribuições" extras impostas aos empregados e a restituição de qualquer valor pago pelos ecetistas que seja considerado abusivo pela Justiça.


Por Francisco Mestre

Postagens mais visitadas